Adicionar aos Favoritos

Recomendar a um amigo

Definir como página inicial

 
   
   
   
 
 

Anedotas

 

 

Eram dois pescadores gémeos.

Um casado e o outro solteiro.

O solteiro tinha uma lancha de pesca já velha.

Um dia, a mulher do casado morre.

E como desgraça nunca vem só, a lancha do irmão solteiro afunda-se no mesmo dia.

Uma senhora, dessas velhotas curiosas e fofoqueiras, soube da morte da mulher e resolve dar os pêsames ao viúvo, mas confunde os irmãos e acaba por se dirigir ao irmão que perdeu a lancha.

- Eu só soube agora. Que perda enorme. Deve ser terrível para si.

O solteiro, sem entender bem, explicou:

- Pois é. Eu estou arrasado. Mas é preciso ser forte e enfrentar a realidade. De qualquer modo, ela já estava muito velha. Tinha o traseiro todo arrebentado, fedia a peixe e vazava água como nunca vi. É verdade que ela tinha uma grande racha na frente e um buraco atrás que, cada vez que eu usava, ficava maior. Mas eu acho que o que ela não aguentou foi que eu a emprestava a quatro amigos que se divertiam com ela. Eu sempre lhes disse para eles irem com calma, mas desta vez foram os quatro juntos e isso foi demais para ela...

A velhinha fofoqueira desmaiou!

 
   

 

Eu tinha lá em casa dez garrafas de cachaça, da boa. Mas minha mulher

obrigou- me a jogá-las fora.

Peguei a primeira garrafa, bebi um copo e joguei o resto na pia.

Peguei a segunda garrafa, bebi outro copo e joguei o resto na pia.

Peguei a terceira garrafa bebi o resto e joguei o copo na pia.

Peguei a quarta garrafa, bebi na pia e joguei o resto no copo.

Pequei o quinto copo joguei a rolha na pia e bebi a garrafa.

Peguei a sexta pia, bebi a garrafa e joguei o copo no resto.

A sétima garrafa eu peguei no resto e bebi a pia.

Peguei no copo, bebi no resto e joguei a pia na oitava garrafa.

Joguei a nona pia no copo, peguei na garrafa e bebi o resto.

O décimo copo, eu peguei a garrafa no resto e me joguei na pia.

 
   

 

O Maneli, alentejano de gema, adormeceu na praia sob um sol escaldante e sofreu graves queimaduras nas pernas.

Foi transportado para o hospital de Beja, com a pele completamente vermelha, cheio de bolhas, e as dores eram horríveis. Qualquer coisa que lhe tocasse na pele ... era a mais completa agonia!

O médico, um alentejano de Serpa, foi ver o Maneli e prescreveu que lhe fosse administrado soro, por via intravenosa, um sedativo leve e 3 comprimidos de Viagra de 8 em 8 horas.

Antonieta, a enfermeira de serviço também ela alentejana, da Vidigueira, completamente boquiaberta perguntou:

- Oh Doutori, vomecê desculpe ... mas vomecê receitou Viagra ?!!!

Responde o médico:

- Si senhora, recetê Viagra e muito bêm.

A Antonieta volta a perguntar:

- Mas atão pra que serve ao Maneli o Viagra nas condições em quele tá?

Ao que o médico respondeu:

- Atão nã se tá memo a vere ? É prós lençois nã tocarem nas quêmaduras das pernas !!!

 
   

 

À noite, enquanto o marido lia o jornal, a esposa comentou:

- Os nossos vizinhos, o casal que mora ali em frente, parecem dois namorados.

Ele, sempre que regressa a casa, tenho reparado, traz um presente e, de manhã, ao

sair, dá-lhe sempre vários beijos. Por que não fazes o mesmo?

- Oh querida, mas eu nem sequer conheço a mulher!

 
   

  << Anedota anterior Próxima anedota >>  

1  |  2  |  3  |  4  |  5  |  6  |  7  |  8  |  9  |  10  |  11  |  12  |  13  |  14  |  15  |  16  |  17  |  18  |  19  |  20  |  21  |  22  |  23  |  24  |  25  |  26  |  27  |  28  |  29  |  30  |  31

Ajude-nos a manter este espaço.

 Envie-nos a sua sugestão para internet@m-p.pt.

 

 

Links externos

  Portal M&P

 
 

                                Copyright ©2009 M&P Consultadoria Informática Lda.